PRINCIPAIS AÇÕES DOS SERVIÇOS / PROGRAMAS

» HOSPITAL MUNICIPAL SITIONOVENSE Uma grande estrutura de saúde para atender a população do Município de Sítio Novo - MA.

» NASF - NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA À SAÚDE DA FAMÍLIA Composto por: Assistente Social, Psicologa, Nutricionista, Fisioterapeuta, Educadora Física, Farmacêutica. Os núcleos de apoio à saúde da família (nasf) foram criados pelo ministério da saúde em 2008 com o objetivo de apoiar a consolidação da atenção básica no brasil, ampliando as ofertas de saúde na rede de serviços, assim como a resolutividade, a abrangência e o alvo das ações.

As ações de saúde dos profissionais do NASF são desenvolvidas após planejamento mensal através de cronograma e são realizadas preferencialmente nas UBS, mas também nos territórios de atuação das ESF como escolas, associações e outros. compreende-se como ações de saúde, atendimentos individuais, práticas educativas de prevenção de doenças e promoção de saúde, visitas domiciliar e ações educativas nos diversos grupos populacionais específicos como: gestantes, crianças e adolescentes, idosos, obesos, hipertensos, diabéticos ações desenvolvidas pelos profissionais do NASF:

  1. Saúde da criança e do adolescente, em parceria coma as escolas, são realizadas palestras educativas além de oficinas nutricionais. temas abordados como direitos da criança e do adolescente, sexualidade, álcool e outras drogas, alimentação saudável, tabagismo, higiene pessoal, datas comemorativas como dia da criança, com realização de atividades educativas, lanches e distribuição de brindes.
  2. Saúde do idoso, além das visitas domiciliares e atendimentos individualizados pelos profissionais do NASF, palestras e orientações sobre as doenças crônicas como hipertensão e diabetes, excesso de sal, alimentação e osteoporose bem como palestras e apoio psicológico a doenças de fundo emocional depressão, ansiedade, oficinas culinárias, passeios, momento de beleza, apoio social, atividades física e de reabilitação, além de comemorações de datas especificas saúde da mulher, realizadas palestras nas USF com os temas direitos da mulher, DST/AIDS, câncer de mama e útero, apoio emocional e social, alimentação saudável e atividade física. Esses encontros também acontecem com gestantes adultas e adolescentes, nutriz com palestras educativas incentivando a amamentação exclusiva e alimentação na gestação entre outros temas.
  3. Visitas domiciliares aos pacientes acamados e/ou sem condições físicas de se deslocar até a USF (AVC, cadeirantes, pacientes oncológicos e outros) atendimentos compartilhados psicólogo, nutrição, serviço social e reabilitação. Além das visitas, oficinas e atendimentos aos usuários a equipe do NASF também desenvolve palestras e capacitação nas UBS para os profissionais com a intensão de divulgar e de conscientizá-los sobre a importância da colaboração deles (profissionais da ESF), para um bom desenvolvimento das atividades.

» PSE- PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA Composto por Gestores das Secretarias de Saúde e de Educação, Enfermeira, Assistente Social, Psicologa, Nutricionista, Fisioterapeuta, Eduacadora Física e Professores.

Contribuir para a formação integral dos estudantes por meio de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde, com vistas ao enfrentamento das vulnerabilidades que comprometem o pleno desenvolvimento de crianças e jovens da rede pública de ensino.

Avaliação antropométrica; - atualização do calendário vacinal; - detecção precoce de hipertensão arterial sistêmica (has); - detecção precoce de agravos de saúde negligenciados (prevalentes na região: hanseníase, tuberculose, malária etc.); - avaliação oftalmológica; - avaliação auditiva; - avaliação nutricional; - avaliação da saúde bucal; - avaliação psicossocial.

» PROGRAMA DE ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER Executar ações dirigidas para o atendimento global das necessidades prioritárias do grupo populacional feminino acima de 10 anos, com vistas à redução da sua morbimortalidade especialmente por causas evitáveis. ações voltadas para atenção clínico-ginecológica; planejamento familiar; atenção obstétrica e neonatal qualificada e humanizada; atenção em situação de violência domestica e sexual; redução do câncer de colo e mama e promoção de ações voltadas para a mulher no climatério, na terceira idade, negras, indígenas, do campo e da cidade.

» PROGRAMA DE ATENÇÃO A SAÚDE DA CRIANÇA Atenção humanizada e qualificada à gestante e ao recém nascido/ triagem neonatal: teste do pezinho/ incentivo ao aleitamento materno/ incentivo e qualificação do acompanhamento do crescimento e desenvolvimento (cd)/ alimentação saudável e prevenção do sobrepeso e obesidade infantil/ combate à desnutrição e anemias carenciais/ imunização/ atenção às doenças prevalentes/ atenção à saúde bucal/ atenção à saúde mental/ prevenção de acidentes, maus-tratos/violência e trabalho infantil/ atenção à criança portadora de deficiência.

» VIGILÂNCIA SANITÁRIA Vigilância Sanitária de Alimentos: o objetivo é garantir a qualidade dos serviços de alimentos. as ações da divisão são válidas para todos os tipos de alimentos, matérias-primas, coadjuvantes de tecnologia, processos tecnológicos, aditivos, embalagens, equipamentos, utensílios e também aos aspectos nutricionais. a fiscalização e inspeção dos serviços fica a cargo das secretarias municipais de saúde e pode ser complementado pela visa estadual.

Vigilância sanitária de produtos: controlar, monitorar, fiscalizar e regulamentar a produção, distribuição, transporte e comercialização de medicamentos, correlatos, saneantes domissanitários, cosméticos, produtos de higiene, perfumes e agrotóxicos, coordenando as ações de vigilância sanitária e farmacovigilância.

Vigilância Sanitária de Serviços: Uma das principais atividades da vigilância é a fiscalização de hospitais, laboratórios, bancos de sangue e clínicas médicas, estéticas e odontológicos, visando a qualidade dos serviços prestados. estes lugares devem estar sempre higienizados, pois tem um risco maior de transmissão de doenças e infecções.

» VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA É o conjunto de atividades que permite reunir a informação indispensável para conhecer, a qualquer momento, o comportamento ou história natural das doenças, bem como detectar ou prever alterações de seus fatores condicionantes, com o fim de recomendar oportunamente, sobre bases firmes, as medidas indicadas e eficientes que levem à prevenção e ao controle de determinadas doenças. A Vigilância Epidemiológica é responsável por acompanhar o comportamento das doenças na sociedade, reunindo informações com objetivo de conhecer, detectar ou prever qualquer mudança que possa ocorrer nos fatores condicionantes do processo saúde-doença, bem como identificar a gravidade de novas doenças à saúde da população. De posse dessas informações deverá então, propor medidas de intervenção para reprimir ou amenizar os danos à população, elaborar ações e estratégias em saúde.

» VIGILÂNCIA AMBIENTAL. A Vigilância Ambiental em Saúde é um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento e a detecção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes do meio ambiente e que interferem na saúde humana, com a finalidade de identificar as medidas de prevenção e controle dos fatores de riscos ambientais, relacionados às doenças ou outros agravos à saúde. A atuação da vigilância ambiental em saúde, em todos os níveis de governo, requer articulação constante com os diferentes atores institucionais públicos, privados e com a comunidade, para que as ações integradas sejam implementadas de forma eficiente, a fim de assegurar que os setores assumam suas responsabilidades de atuar sobre os problemas de saúde e de ambiente em suas respectivas áreas. A Vigilância Ambiental em Saúde tem como universo de atuação todos os fatores ambientais de riscos que interferem na saúde humana e as inter-relações entre o homem e o ambiente e vice-versa. no âmbito do ministério da saúde, diversos órgãos e instituições desenvolvem programas e projetos e ações relacionados à saúde ambiental. A Vigilância Ambiental dos fatores de riscos não biológicos fica desmembrada em cinco áreas de agregação: • contaminantes ambientais; • qualidade da água para consumo humano; • qualidade do ar; • qualidade do solo, incluindo os resíduos tóxicos e perigosos; e • desastres naturais e acidentes com produtos perigosos.

»SAMU O SAMU realiza o atendimento de urgência e emergência em qualquer lugar: residências, locais de trabalho e vias públicas. o socorro é feito após chamada gratuita, feita para o telefone 192. a ligação é atendida por técnicos na central de regulação que identificam a emergência e, imediatamente, transferem o telefonema para o médico regulador. esse profissional faz o diagnóstico da situação e inicia o atendimento no mesmo instante, orientando o paciente, ou a pessoa que fez a chamada, sobre as primeiras ações.

» ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Artigo 28 – ao coordenador de assistência farmacêutica compete: I – definir a normatização da assistência farmacêutica no sus/ap, adotando uma sistemática para seleção, programação, aquisição, armazenamento, distribuição, dispensação e controle. considerando a padronização e diretrizes da comissão estadual de assistência farmacêutica, afim de garantir a universalidade, equidade e integralidade da assistência de saúde à população. II – manter intercâmbio de parcerias com as secretarias municipais de saúde e órgãos vinculados de assistência à saúde no estado; integrando-se ao sistema de pesquisa e produção de insumos, por órgãos governamentais e não governamentais que possam beneficiar a saúde da população.

artigo 29 – à divisão de administração e controle compete: I – executar as atividades administrativas dentro da programação de aquisição, controle e distribuição de insumos farmacêuticos e imunobiológicos; II – executar os procedimentos administrativos de recebimento dos produtos doados e adquiridos pela rede pública do sistema único de saúde/ap; III – executar os procedimentos administrativos para aquisição da matéria-prima para a produção e dispensação de medicamentos e correlatos; IV – providenciar e apoiar todos os procedimentos administrativos de manutenção, transporte e pessoal para o funcionamento da estrutura organizacional da coordenadoria de assistência farmacêutica;

»IMUNIZAÇÃO. Normatização das ações e atividades do programa; Controle, distribuição e avaliação de imunobiológicos do setor público (rotina, especiais, campanhas), além de insumos – impressos, seringas, agulhas – e materiais de campanha; Avaliação e apoio técnico nas investigações de notificações de eventos adversos pós-vacinais; Avaliação e conduta nas notificações de alteração de temperatura de exposição de imunobiológicos distribuídos no setor público; Capacitação de recursos humanos – com a formação de multiplicadores – imprimindo caráter homogêneo à execução das ações programáticas; Coordenação de sistemas de informações próprios (sistemas de informações do programa nacional de imunizações si-pni)

»PSF (PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA). Prestar, na unidade de saúde e no domicílio, assistência integral, contínua, com resolubilidade e boa qualidade às necessidades de saúde da população; Intervir sobre os fatores de risco aos quais a população está exposta . eleger a família e o seu espaço social como núcleo básico de abordagem no atendimento à saúde; Humanizar as práticas de saúde através do estabelecimento de um vínculo entre os profissionais de saúde e a população; Proporcionar o estabelecimento de parcerias através do desenvolvimento de ações intersetoriais; Contribuir para a democratização do conhecimento do processo saúde/doença, da organização dos serviços e da produção social da saúde; Fazer com que a saúde seja reconhecida como um direito de cidadania e, portanto, expressão da qualidade de vida. estimular a organização da comunidade para o efetivo exercício do controle social. 

»PROGRAMA DE ATENÇÃO À SAÚDE DO ADULTO E IDOSO. Coordenar e promover ações de atenção integral à saúde da pessoa adulta e idosa, com vistas à prevenção e ao controle de agravos crônicos não transmissíveis, como diabetes mellitus, a hipertensão arterial, o tabagismo e a obesidade, para uma vida longa, ativa e saudável.

»TFD (TRATAMENTO FORA DE DOMICÍLIO). O Tratamento Fora de Domicílio – TFD, instituído pela portaria nº 55 da secretaria de assistência à saúde (ministério da saúde), é um instrumento legal que visa garantir, através do sus, tratamento médico a pacientes portadores de doenças não tratáveis no município de origem por falta de condições técnicas. Assim, o TFD consiste em uma ajuda de custo ao paciente, e em alguns casos, também ao acompanhante, encaminhados por ordem médica à unidades de saúde de outro município ou estado da federação, quando esgotados todos os meios de tratamento na localidade de residência do mesmo, desde que haja possibilidade de cura total ou parcial, limitado no período estritamente necessário a este tratamento e aos recursos orçamentários existentes. Destina-se a pacientes que necessitem de assistência médico-hospitalar cujo procedimento seja considerado de alta e média complexidade eletiva.

O que este programa oferece? • consulta, tratamento ambulatorial, hospitalar / cirúrgico previamente agendado; • passagens de ida e volta - aos pacientes e se necessário a acompanhantes, para que possam deslocar-se até o local onde será realizado o tratamento e retornar a sua cidade de origem; • ajuda de custo para alimentação e hospedagem do paciente e/ou acompanhante enquanto durar o tratamento.

Quando o TFD pode ser autorizado? SIM •    para pacientes atendidos na rede pública, ambulatorial e hospitalar, conveniada ou contratada do sus; •    quando esgotados todos os meios de tratamento dentro do município; •    somente para municípios referência com distância superior a 50 km do município de destino em deslocamento por transporte terrestre ou fluvial, e 200 milhas por transporte aéreo; •    apenas quando estiver garantido o atendimento no município de destino, através do aprazamento pela central de marcação de consultas e exames especializados e pela central de disponibilidade de leitos; •    com exames completos, no caso de cirurgias eletivas; e com a referência dos pacientes de tfd explicitada na programação pactuada integrada – ppi de cada município e na programação anual do município/estado.

NÃO •    para procedimentos não constantes na tabela do sia e sih/sus; •    tratamento para fora do país; •  para pagamento de diárias a pacientes durante o tempo em que estiverem hospitalizados no município de destino; •    em tratamentos que utilizem procedimentos assistenciais contidos no piso de atenção básica (pab) ou em tratamentos de longa duração, que exijam a fixação definitiva no local do tratamento; •    quando não for explicitado na programação pactuada integrada – ppi dos municípios a referência de pacientes em tratamento fora de domicílio; •  para custeio de despesa de acompanhante, quando não houver indicação médica ou para custeio de despesas com transporte do acompanhante, quando este for substituído.

 

»LABORATÓRIO DE ANALISES CLINICAS MUNICIPAL. O Laboratório de análises clínicas possui procedimentos para a coleta, realização e entrega dos exames laboratoriais.  os exames de rotina serão entregues em 3 dias úteis. os exames realizados no laboratório de apoio serão entregues no período de 20 a 30 dias úteis os exames que necessitam de jejum obrigatório de 8 a 12 horas são: glicose, colesterol total e frações (hdl, ldl, vldl), triglicerídeos, curva glicêmica e hemograma. O material é coletado no próprio laboratório e as solicitações de coletas de emergencia no hospital.

»ATENDIMENTO DE FISIOTERAPIA. Utilização da reabilitação baseada na comunidade (rbc) como ferramenta participativa de intervenção junto à pessoa com deficiência, de forma articulada com os sistemas estruturados de saúde, educação e assistência social; - Orientações domiciliares para pessoas com deficiência, seus familiares e cuidadores; - Intervenções para promoção de acessibilidade em prédios e instituições; - Realização de orientações, atendimento e acompanhamento de exercícios terapêuticos para o bom desenvolvimento da mobilidade físico funcional; - Estabelecimento de práticas de re-socialização da pessoa com deficiência (encaminhamento a serviços clínicos específicos, formação, adaptação e preparação de para-atletas, adaptações funcionais, co-responsabilização dos familiares); - Orientações e grupos terapêuticos baseados nas terapias posturais e globais; - Realização de exercícios terapêuticos junto aos grupos populacionais específicos (gestantes, idosos, hipertensos, diabéticos, cardiopatas, pessoas com deficiência, entre outros); - Estimular a adoção de hábitos saudáveis de vida, evitando o sedentarismo e prevenindo ou controlando as doenças crônico-degenerativas (diabetes, hipertensão), a obesidade, buscando o envelhecimento bem sucedido;

»SAÚDE BUCAL. As ações nesta área visam melhorar a qualidade de vida da população, discutindo alimentação saudável, manutenção da higiene e auto-cuidado do corpo. a boca é um órgão de absorção de nutrientes, expressão de sentimentos, defesa e comunicação. As unidades básicas de saúde realizam ações em saúde bucal e, conforme a necessidade do usuário, encaminham para os serviços adequados.

As ações básicas de saúde são: - Atividades educativas para a prevenção de cárie, doenças na gengiva, câncer de boca, má oclusão e trauma dentário são realizadas de forma individual ou em grupo, na própria unidade, em escolas, creches, asilos, outros espaços comunitários e em visita domiciliar. - Atividades clínicas, curativas e reabilitadoras, como aplicação de flúor, remoção de tártaro e placa bacteriana, restaurações, extrações e pequenas cirurgias são realizadas nas unidades básicas de saúde.

»PROGRAMA NACIONAL DE CONTROLE DO TABAGISMO. Esse programa tem como objetivo reduzir a prevalência de fumantes, e a consequente mortalidade por doenças tabaco relacionadas. o programa utiliza as seguintes estratégias: prevenção da iniciação ao tabagismo, proteção da população contra a exposição ambiental à fumaça de tabaco, promoção e apoio à cessação de fumar e regulação dos produtos de tabaco através de ações educativas e de mobilização de políticas e iniciativas legislativas e econômicas. Trata-se de um atendimento psicoterapêutico grupal aos usuários com maior dificuldade para mudança de seu padrão de consumo do tabaco ou para atingir a abstinência. os grupos são abertos, heterogêneos (sexo e idade) e a frequência dos atendimentos é quinzenal.

Local de Funcionamento: Posto Ramiro Martins Viana e Posto Jose Medrado ( Vila Nova).

Edit

dezembro 2017
D S T Q Q S S
« jul    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Galeria de Fotos

16386852_365438197158143_6340765243963282974_n 16298517_365438577158105_8026610226826250245_n 16265549_365438047158158_7080286115695034088_n (1) 13179468_910014575787175_5631240023665155190_n 13179107_910014579120508_5681331595101117380_n 13178823_910013872453912_2154752754771751782_n